17 de mar de 2011

O que é preciso pra chegar a Deus?






Vou começar com um texto de Hebreus.

(Hebreus 4:14) - Visto que temos um grande sumo sacerdote, Jesus, Filho de Deus, que penetrou nos céus, retenhamos firmemente a nossa confissão. (Hebreus 4:15) - Porque não temos um sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; porém, um que, como nós, em tudo foi tentado, mas sem pecado. (Hebreus 4:16) - Cheguemos, pois, com confiança ao trono da graça, para que possamos alcançar misericórdia e achar graça, a fim de sermos ajudados em tempo oportuno.

Infelizmente existem igrejas (que se dizem protestantes) ou denominações que são especialistas em dificultarem o acesso das pessoas a Deus. Parece contraditório, uma vez que a função da igreja deveria ser exatamente o oposto. Negam escaradamente o que a reforma tanto lutou. Como diz João Alexandre em uma de suas canções "estão recosturando o véu que Jesus já rasgou. 
Deus torna-se um ser extremamente burocrático. Uma série de exigências são postas diante daquele que requer o acesso. O maneira que Jesus ensinou está ultrapassada. A metodologia atualmente aplicada, muito presente no neopentecostalismo, transforma seu "deus" nesse objeto distante. 
Certamente você leitor já deve ter visto alguma publicidade do tipo: Campanha “alcançando o favor do Senhor”, “chamando a atenção de Deus” e por ai vai. Sem mencionar ainda as canções da moda que estimulam essa idéia.

Pensando nisso, lembrei do que li no twitter a seguinte afirmação: - O evangelho não é o anuncio de coisas a serem feitas, mas o anúncio do que Cristo já fez.

A bíblia diz que éramos tidos como inimigos de Deus, mas pela graça essa “amizade” foi restabelecida por intermédio de Cristo. O que os impede de chegar a Deus são os nossos pecados, e Cristo já pagou por eles. É Isso que o texto de Hebreus acima citado deixa bem claro. Cristo como sumo sacerdote levou a Deus a oferta pelos nossos pecados, uma vez que podemos agora chegar com “confiança” (livre acesso, entende?).
 Veja que é simples. Não é necessário campanhas de sal, unções proféticas. Temos o favor de Deus em nossa vida por intermédio de Cristo. Deus não está inacessível ao seu povo. O que às vezes ocorre, é que pessoas erroneamente pensam que seu autoflagelo irá fazer com que Deus tem maior compaixão. Uma idéia muito contemporânea de "penitência". Infelizmente cristãos são ensinados assim.
Lastimável é, que não são poucos cristãos quem têm sido escravizados dessa forma. Já ouvi muita gente se lamentar por não conseguir Jejuar tanto como gostaria, ou ser tão “santo” como deveria. Mas isso diminui o olhar de Deus sobre a sua vida?
                Minha idéia aqui não é desestimular a busca por Deus, por uma vida de obediência e santidade. Sãos princípios bíblicos fundamentais a vida de qualquer cristão autêntico. Contudo, isso tem criado divisão de classes na igreja. Às vezes os aparentemente “menos favorecidos” se julgam ruins aos olhos de Deus, incapazes, desgraçados, tornam-se  frustrados e infelizes.
A cruz é que leva o ser humano a aproximação de Deus. Outra coisa não pode fazê-lo, nem a melhor de nossas boas obras. O que são nossas “boas obras” sob a ótica de Deus sem Cristo?
(Isaías 64:6) - Mas todos nós somos como o imundo, e todas as nossas justiças como trapo da imundícia; e todos nós murchamos como a folha, e as nossas iniqüidades como um vento nos arrebatam.
                Deus não é parecido com seu chefe que sempre está lhe cobrando metas a serem alcançadas e troca de recompensas. O que era para ser feito Cristo já fez. Se buscamos santificação, boas obras, é fruto do que em nossas vidas já aconteceu e não o contrário. Talvez lhe soe estranho dado ao que sempre temos ouvido e visto, mas é exatamente isso que o evangelho no diz.
            
    Não permita que ninguém, absolutamente ninguém lhe apresente obstáculo para chegar a Deus (a não ser confessar a Cristo como Senhor).

“Eis que o véu do santuário se rasgou em duas partes de alto a baixo..." (Mt 27.51)

Como diz a antiga canção: “o véu que separava, agora não separa mais..”

Pense nisso,

Renato Rangel

Um comentário:

  1. Com certeza!!!
    Nós, que sob a graça estamos, temos livre acesso ao Trono da Graça! A lei do sacrifício, dos rituais, do acesso restrito foi anulada quando aquele véu se rasgou.
    A carta aos Romanos nos dá uma senhora aula de Lei e Graça. Pela Lei conhecemos o bem de Deus, o cuidado Dele como está escrito em Romanos 7:7, Mas pela graça somos salvos. A lei nos dá a condição de servos e a graça nos dá a condição de filhos adotados pelo Pai. "por intermédio de quem obtivemos igualmente acesso, pela fé, a esta graça na qual estamos firmes; e gloriamo-nos na esperança da glória de Deus." Rm 5:2
    Renato, que Deus continue a derramar sobre ti a mais pura e poderosa unção! Obrigada por abençoar meu dia!

    ResponderExcluir

Faça um blogueiro Feliz, deixe seu comentário: